PUBLICIDADE

O in e out das festas de casamento

Escolha os doces do casamento e feche a festa com chave de ouro

Festas de casamento são muito parecidas, no mundo todo. Por aqui, nos últimos dois anos, elas se tornaram um verdadeiro acontecimento, sempre carregadas de muito simbolismo e tradição.

Os noivos pensam em tudo, o vestido, a festa, a celebração, a decoração... e também nos docinhos. Anos atrás, brigadeiro, beijinho, olho de sogra eram as vedetes, mas agora só são permitidas em festas infantis.

In
- Pâtisserie:
Principalmente os mini doces, como tartelletes. São doces que se revelam verdadeiras obras de arte, impressionando pela apresentação. De nada adianta fazer uma super festa e não terminar da mesma maneira, a mesa de doces é o grande final da noite revela a Chef. Opte pela variedade de sabores, formas e ingredientes. A mistura vai tornar a mesa harmoniosa e convidativa.

- Bem-casado: Dos docinhos de casamento, o mais famoso é o bem-casado que têm origem nos "casadinhos"

portugueses, presentes em todas as festas da região entre o Douro e o Minho. Tendo, os de lá, massa com textura mais de biscoito que de bolo. Aqui, é feito com dois pequenos discos de massa leve de pão-de-ló, unidos com doce de leite ou de ovos; onde são cuidadosamente embrulhados um a um.

- Creme brullé e petit gateau: O máximo quando servidos em pequenas porções para degustação. Bonito servir em louça de porcelana e talher de metal. Totalmente proibido colher e copo plástico.

- Chocolates: Para quem não abre mão do chocolate e principalmente do brigadeiro, a alternativa é optar por brigadeiro de colher. Bombons, trufas e frutas secas mergulhadas no chocolate também têm vez na mesa de doces.

OUT
- Quitutes populares: Totalmente proibido cajuzinho, olho de sogra e todas as suas variáveis. São gostosos, mas podem arruinar a decoração da mesa de doces.

Quanto comprar para servir a todos?
Em média somamos cerca de 5 doces por pessoa.

Como definir o cardápio de doces? O que deve ser levado em conta? Primeiramente o gosto dos noivos. Em segundo lugar, a variedade de sabores e formatos. Hoje, os doces fazem parte da decoração, portanto é interessante que eles estejam em harmonia.



Flávia Amorim Chef pâtissière, formada pela Le Cordon Bleu na França. No Brasil atuou ao lado da conhecida chef Flávia Quaresma, com quem trabalhou por quase dois anos. Em 2006, buscando seu próprio caminho, Flávia Amorim inaugurou seu atelier, com sede no Rio de Janeiro e filial em São Paulo.

Para saber mais, acesse: www.flaviaamorim.com.br



O que não deve faltar no buffet de um casamento para você?



NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)