Existe tratamento para incontinência urinária?

Lais Fiorelli, ginecologista especialista em uroginecologia, explica as causas e como tratar escapes de xixi

A incontinência urinária, também conhecida popularmente como escapes de xixi, é caracterizada pela perda do controle da bexiga e pela passagem involuntária de urina, ocasionando em vazamentos ao tossir, espirrar ou até mesmo pela vontade repentina de ir ao banheiro e não conseguir chegar a tempo.

O grau de vazamento pode variar de acordo com o tipo de incontinência urinária, com a idade e com o tempo que os sintomas vêm se apresentando. Algumas pessoas podem apresentar pequenas perdas de urina e com menos frequência, já outras podem perder de pequenas a moderadas quantidades de urina com mais frequência.

Possíveis causas da incontinência urinária

Os escapes de xixi, em especial a incontinência de esforço, geralmente são resultados do enfraquecimento ou até mesmo lesão dos músculos do assoalho pélvico, normalmente causados por hábitos diários, alguns tipos de condições médicas ou problemas físicos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Já a incontinência por transbordamento costuma ser causada pelo bloqueio ou uma obstrução na bexiga, impedindo a pessoa de conseguir esvaziá-la completamente ao urinar. A incontinência urinária também pode acontecer devido a uma condição persistente causada por problemas físicos subjacentes ou alterações do organismo, como gravidez, parto vaginal, menopausa, aumento da próstata e problemas neurológicos, como doença de Parkinson e esclerose múltipla.

Como tratar escapes de xixi?

Os tratamentos de escapes de xixi variam de acordo com a gravidade e do que está causando o problema, e vão desde mudanças comportamentais e no estilo de vida, até exercícios práticos para treinar a bexiga. Somente um médico especialista pode determinar o melhor tratamento e, em alguns casos, o procedimento cirúrgico é recomendado.

Dentre as mudanças no estilo de vida estão ajustes saudáveis de hábitos, como reduzir o consumo de alimentos ricos em cafeína, o excesso de álcool, bem como evitar fumar, já o fumo normalmente é associado a tosses - o que pode estimular o esforço da bexiga que já se encontra sobrecarregada.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Outra forma de tratar a incontinência urinária é por meio de exercícios para o assoalho pélvico, chamados de exercícios de Kegel, que têm como objetivo fortalecer os músculos do assoalho pélvico ao fazer uma dinâmica de contrair e relaxar, ajudando a controlar o fluxo de xixi.

Treinar a bexiga também pode incluir controle e ajuste na frequência e dinâmica que se usa o banheiro. A pessoa pode começar a anotar hábitos do dia a dia, como a frequência que ocorrem os escapes de xixi, o intervalo de tempo que se dão as idas ao banheiro e como é a sensação antes e após o vazamento. Isso pode ajudar na compreensão dos sintomas e a conhecer melhor o funcionamento da bexiga.

Dependendo da gravidade do caso e do diagnóstico, pode ser recomendado o uso de medicamentos e dispositivos médicos a fim de ajudar a pessoa a controlar os sintomas durante o tratamento.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)