PUBLICIDADE

Campanha de vacinação contra gripe atinge apenas 70% do público-alvo

No Brasil, 16,8 milhões de pessoas ainda não se vacinaram contra a gripe. A campanha acaba nesta semana

Descubra o poder de um sorriso.
Participe da newsletter

Preencha os campos* abaixo.
X

*Ao concluir, você concorda com a nossa Política de Privacidade e aceita receber novidades do Minha Vida e seus parceiros.

Cadastro efetuado com sucesso!

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe acaba essa semana no Brasil, mas ainda falta 16,8 milhões de pessoas se vacinarem. Segundo dados de segunda-feira (27), do Ministério da Saúde, 42,5 milhões de pessoas foram vacinadas contra a gripe, ou seja, 71,6%. A meta é vacinar pelo menos 59,4 milhões, que equivale a 90% do público alvo.

Para se proteger dos tipos graves do vírus da gripe (H1N1, H3N2 e influenza B), basta recorrer a unidade de saúde mais próxima. O Ministério da Saúde confirmou que a Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza, iniciada no dia 10 de abril, continua apenas nesta semana com finalidade no dia 31 de maio (sexta-feira).

"A vacina está disponível de graça nas unidades de saúde de todo o país. Para diminuir a circulação do vírus no país é preciso que todas as pessoas que fazem parte do público prioritário da campanha se vacinem. A vacina é a forma mais eficaz de evitar a doença", alertou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Veja abaixo os grupos prioritários e a porcentagem de vacinação até o momento, divulgada pelo MS:

O grupo de prioridade citado acima são mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias, segundo o Ministério da Saúde. Para escolher o público prioritário foram seguidas recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), além de estudos epidemiológicos e observação do comportamento das infecções respiratórias.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O estado com maior cobertura vacinal é o Amazonas (93,6%), seguido dele vem o Amapá (85,5%), Espírito Santo (75,3%), Alagoas (73,4%), Rondônia (72,6%) e Pernambuco (72,2%). Já o estado com menor cobertura é o Rio de Janeiro (45,8%), em seguida o Acre (49,7%), São Paulo (57,0%), Roraima (57,4%) e Pará (59,2%).

O Ministério da Saúde recomenda que a apresentação da prescrição médica antes de ser vacinado é indicado para portadores de doenças crônicas não transmissíveis, incluindo pessoas com deficiências específicas. Quem não precisa de prescrição médica são os pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS, basta se dirigir aos postos em que estão registrados para se vacinar.

Casos de gripe no Brasil

Dados do órgão apontam que em 2019, 807 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza foram registrados até o dia 11 de maio no Brasil inteiro. Além disso, o principal subtipo é o H1N1 (vírus influenza A), que registrou 407 casos e 86 mortes até o momento.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Crianças e gestantes foram priorizadas no começo da campanha de vacinação. No dia 22 de abril, a vacina foi liberada para todos os públicos.

Vacina da gripe

Por mais que não seja considerada uma doença grave, a gripe pode levar à morte, sobretudo quando aparece associada a outras complicações mais graves, como traqueobronquite ou pneumonia. A solução prática e simples para combater esse mal é a vacina. No entanto, apesar de eficiente, essa solução ainda gera muitas dúvidas e preconceitos entre a população, principalmente sobre sua eficácia e riscos. Quem não deve tomar a vacina e quais complicações ela pode trazer são alguns exemplos dessas questões. Clique aqui e faça o teste: O que você sabe sobre a vacina da gripe?