PUBLICIDADE

Botulismo: o que é, sintomas e tratamentos

Visão Geral

O que é Botulismo?

O botulismo é uma doença bacteriana grave e não contagiosa causada pela ação de uma toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum. A bactéria pode entrar no organismo por meio de machucados ou pela ingestão de alimentos contaminados, principalmente enlatados e os que são preservados inadequadamente. É considerada uma patologia rara.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as toxinas de botulismo são algumas das substâncias mais letais conhecidas pela medicina.

Tipos

O botulismo apresenta três formas, sendo todas fatais e consideradas emergências médicas. São elas:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Causas

O botulismo é causado pela bactéria Clostridium botulinum, que pode ser encontrada no solo e em água não tratada. Essa bactéria produz esporos que sobrevivem até em ambientes com pouco oxigênio, como alimentos em conserva ou enlatados. Nesses ambientes, ela produz uma toxina que, mesmo sendo ingerida em pouquíssima quantidade, pode causar envenenamento grave.

As causas de botulismo dependem do tipo específico da doença.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Botulismo infantil

Também conhecido como botulismo do lactante, este é o tipo mais comum da doença e costuma acometer crianças de aproximadamente 2 a 6 meses de idade. Aqui, a bactéria causadora do botulismo multiplica-se e libera toxinas dentro do trato gastrointestinal do bebê e pode causar graves complicações à sua saúde.

Botulismo alimentar

Esse tipo de botulismo se pega por meio da ingestão de alimentos contaminados com a bactéria – que geralmente se prolifera em ambientes com pouco oxigênio, como no caso de alimentos enlatados. Os alimentos mais comumente contaminados pela bactéria são vegetais em conservas caseiras, carne de porco e presunto, peixe defumado ou cru, mel e vísceras de crustáceos.

Botulismo das feridas

As bactérias podem entrar no organismo por meio de lesões na pele, machucados e outras feridas, onde liberam as toxinas e levam a uma grave infecção. Essa é a forma mais rara de botulismo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Fatores de risco

Há fatores de risco específicos para cada tipo de botulismo, sendo eles:

Sintomas de Botulismo

O período de incubação da bactéria causadora do botulismo, geralmente, varia de algumas horas até oito dias. O tempo de incubação depende muito da quantidade de toxina liberada dentro do organismo e do tipo da doença. Segundo Raquel Muarrek, infectologista do São Luiz e da Medicina Interna Personalizada (MIP), os sintomas são classificados entre leve, moderado e grave.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Botulismo infantil

Se o botulismo infantil está relacionado à ingestão de alimentos contaminados, como o mel, os problemas geralmente começam dentro de 18 a 36 horas após a toxina entrar no corpo do bebê. Os sinais e sintomas incluem:

Botulismo alimentar

Como no caso do botulismo infantil, os sintomas de botulismo alimentar começam tipicamente algumas horas após a toxina entrar no corpo, mas pode variar durar até vários dias, dependendo da quantidade de toxina ingerida. Os sintomas de botulismo alimentar incluem:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Botulismo das feridas

A maioria das pessoas usuárias de drogas injetáveis desenvolvem botulismo por feridas. Em geral, é difícil estimar quanto tempo leva para os sintomas se manifestarem depois que a toxina entra no corpo nesses casos. No entanto, ao penetrar a corrente sanguínea por meio de um machucado na pele, por exemplo, as toxinas se espalham muito mais rapidamente pelo corpo.

Os sintomas do botulismo por feridas inclui:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico e Exames

Diagnóstico de Botulismo

O processo de diagnóstico, geralmente, começa com um exame físico feito pelo próprio médico no consultório. Nele, o especialista poderá detectar sinais de:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Podem ser realizados, também, exames de sangue para identificar a toxina no organismo e exame de fezes, além de exames laboratoriais no alimento suspeito de conter a bactéria transmissora de botulismo.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Botulismo

O principal objetivo do tratamento de botulismo é controlar os sintomas e evitar eventuais complicações. Se imediato, ele reduz significativamente o risco de morte do paciente.

A hospitalização é exigida em quase todos os casos, pois a doença pode levar a problemas respiratórios e eles costumam ser fatais. Para esses casos, uma sonda poderá ser inserida por meio do nariz ou da boca para o interior da traqueia, proporcionando uma passagem para o oxigênio se for necessário.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O paciente pode necessitar de um aparelho de respiração artificial também. Além disso, os pacientes com dificuldade para deglutir podem receber líquidos intravenosos.

Em geral, o tratamento para botulismo é feito por meio de medicamentos específicos, chamados antibotulínicos, que agem diretamente contra a toxina liberada pela Clostridium botulinum. Segundo Muarrek, a injeção da antitoxina ajuda na diminuição das sequelas e na gravidade do quadro.

Complicações possíveis

A toxina botulínica afeta o controle motor e, por essa razão, pode levar a diversas complicações. Ela pode levar à insuficiência respiratória, que, no geral, é a forma mais comum de morte causada por botulismo. Outras complicações podem incluir:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Botulismo tem cura?

O tratamento imediato reduz significativamente o risco de morte do paciente, mas é preciso acompanhamento médico. Além disso, o processo de recuperação é lento e depende de como o sistema imunológico reage para eliminar a toxina do corpo.

Prevenção

Existem alguns hábitos e cuidados que podem ajudar a prevenir o botulismo, especialmente no que se diz respeito à preparação e ao consumo de alimentos. São eles:

Referências

Sociedade Brasileira de Infectologia

Raquel Muarrek (CRM 83161), infectologista do São Luiz e da Medicina Interna Personalizada (MIP)