PUBLICIDADE

Cirrose: doença grave causa danos irreversíveis ao fígado

Visão Geral

O que é Cirrose?

A cirrose é uma doença hepática decorrente de processos inflamatórios persistentes e agressões crônicas no fígado que levam à formação progressiva de um tecido de cicatriz no órgão, chamado de fibrose.

Por consequência, com a destruição de suas células, o desempenho do fígado é comprometido e ele deixa de realizar tarefas essenciais, como o processamento de nutrientes e de medicamentos, o armazenamento de glicose e vitaminas e a produção da bile, que atua na digestão.

“A cirrose é uma doença considerada grave, já que afeta a qualidade de vida e reduz a expectativa de vida, especialmente nas fases mais avançadas”, esclarece Rafael Oliveira Ximenes, hepatologista do Hospital Israelita Albert Einstein, em Goiânia.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Causas

A cirrose pode ser causada por diversas etiologias. Normalmente, a doença está associada a quadros de hepatites virais, como hepatite B, hepatite C e hepatite autoimune também podem levar à destruição das células do fígado e originar um caso de cirrose hepática.

O consumo excessivo de álcool também pode levar a cirrose. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 35% dos pacientes com diagnóstico de alcoolismo desenvolvem o problema.

Outra causa possível de cirrose é a chamada esteatose hepática, um distúrbio que se caracteriza pelo acúmulo de gordura no interior das células do fígado. Se constante e por tempo prolongado, o problema pode provocar uma inflamação capaz de evoluir para quadros graves de cirrose e até de câncer.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Segundo Ximenes, existem várias outras causas mais raras, mas que também precisam ser lembradas, como hemocromatose (excesso de ferro no organismo), doenças hepáticas autoimunes e deficiência da alfa-1 antitripsina.

Fatores de risco

Pacientes com hepatites virais possuem maior risco de desenvolver o problema, uma vez que a patologia é uma das causas da cirrose. De acordo com Ximenes, os fatores de risco acerca das hepatites são contato com sangue ou material contaminado com sangue e relações sexuais desprotegidas.

O contato com sangue pode ocorrer desde transfusões, em especial as recebidas antes de 1993, uso de drogas injetáveis/inaláveis e hemodiálise, até materiais de manicure, tatuagens e piercings.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Pacientes com hepatites virais também estão sujeitos a desenvolver a doença, uma vez que a patologia é uma das causas da cirrose. De acordo com Ximenes, os fatores de risco acerca das hepatites são contato com sangue ou material contaminado com sangue e relações sexuais desprotegidas.

O consumo em excesso de bebidas alcóolicas e o alcoolismo também são fatores de risco associados à cirrose hepática, pois, além de propiciarem o desenvolvimento do problema, causam o aumento da gordura no fígado.

“No caso das bebidas alcoólicas, ingerir mais de 14 doses/semana para mulheres e mais de 21 doses/semana para homens é um importante fator de risco para a cirrose. Uma dose de bebida alcoólica seria uma lata ou long neck de cerveja, uma taça de vinho de 125mL ou 40mL de destilados”, explica o hepatologista Rafael Ximenes.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Outros fatores de risco incluem:

Sintomas de Cirrose

A cirrose é uma doença que, em sua fase inicial (que pode durar vários anos), não apresenta sintomas. Por isso, o hepatologista Ximenes ressalta a importância de investigar a possibilidade de cirrose em indivíduos que têm fatores de risco, mesmo que a pessoa esteja se sentindo bem.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Desse modo, a doença evolui de forma silenciosa, provocando agressões no fígado e podendo evoluir para estados avançados e de difícil tratamento. De acordo com Ximenes, quando os sintomas se manifestam, estamos diante de um quadro grave de cirrose.

Sintomas iniciais da cirrose

Mesmo que raro, é possível que o paciente apresente alguns sinais menos agressivos que podem ser confundidos com outros problemas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas da fase mais avançada (quadro considerado grave)

Sintoma da fase crítica

Diagnóstico e Exames

Diagnóstico de Cirrose

O diagnóstico de cirrose pode ser feito a partir de diversos métodos. Os mais utilizados, segundo Rafael, incluem a elastografia hepática, que é um exame não invasivo semelhante a uma ultrassonografia e que consegue estimar o grau de fibrose no fígado; uma biópsia do órgão e a combinação de dados clínicos, laboratoriais, de imagem e endoscópicos, que podem revelar achados evidentes de cirrose, em especial nas fases avançadas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Cirrose

O tratamento consiste em tratar a causa subjacente da doença, que pode variar de acordo com a gravidade do problema. Este tratamento inclui:

“Vale ressaltar ainda que a cirrose aumenta o risco de câncer de fígado. Por isso, faz parte do acompanhamento o rastreamento de câncer de fígado através da realização de exames de imagem e de sangue a cada 3 a 6 meses”, acrescenta Rafael.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Medicamentos para Cirrose

Os medicamentos mais usados para o tratamento de cirrose são:

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique.

Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Prevenção

Prevenção

É possível prevenir a cirrose prevenindo e/ou tratando de forma precoce as doenças crônicas do fígado, conforme explica Rafael Ximenes. De acordo com o especialista, isto inclui:

Cirrose tem cura?

Devido às lesões irreversíveis no fígado causadas pela cirrose, a doença não tem cura. Para um prognóstico favorável, é essencial que o diagnóstico seja realizado nos estágios iniciais da cirrose, antes de o paciente apresentar os sintomas.

“Para conseguirmos isso, é essencial um trabalho de conscientização da população sobre a importância de cuidar do fígado e de fazer um check-up hepático caso tenha algum fator de risco para doenças deste órgão”, finaliza o hepatologista.

A doença apresenta chance de cura a partir do momento que é feito o transplante de fígado, que é o último recurso utilizado nos estágios mais avançados da cirrose, em que o fígado deixa completamente de funcionar. Nesses casos, o fígado doente é substituído por um fígado sadio, retirado de um doador compatível.

Referências

Ministério da Saúde

Rafael Oliveira Ximenes, hepatologista do Hospital Israelita Albert Einstein, em Goiânia - CRM-GO 18.300/ CRM-SP 132.083